Descubra como funciona a análise de crédito na locação de imóveis

Descubra como funciona a análise de crédito na locação de imóveis

Para que a locação de um imóvel ocorra sem surpresas desagradáveis, é fundamental que a imobiliária ou o locador tomem algumas medidas que, apesar de simples, podem fazer toda a diferença. A mais importante delas, sem dúvidas, é a análise de crédito do futuro inquilino.

Uma análise de crédito cuidadosa é fundamental para manter uma locação segura e um bom relacionamento com o locatário. Neste texto vamos falar sobre o que precisa ser levado em consideração durante esse processo. Confira!

Por que a análise de crédito é importante?

Antes de qualquer coisa, é preciso recordar que a Lei 12.112, em vigor desde 2010, trouxe maior segurança para proprietários de imóveis que venham a sofrer com inadimplência por parte do locatário. Essa lei, que alterou a Lei 8.245, garante maior agilidade em ações de despejo motivadas por falta de pagamento, facilitando o processo judicial.

Porém, apesar dessas mudanças, uma ação de despejo é sempre um processo desgastante e caro para todas as partes envolvidas. Portanto, é sempre bom exigir as garantias legais para contratos de locação e, principalmente, realizar a análise de crédito do futuro inquilino com bastante cuidado, pois prevenir é melhor que remediar. 

Qual deve ser a renda mensal do locatário?

Mesmo que o inquilino não tenha histórico de débitos em seu nome, é importante que a imobiliária ou o locador deem especial atenção à renda mensal. O ideal é que o valor do aluguel não ultrapasse cerca de 30% da renda do candidato a locatário.

A renda pode ser verificada por meio de holerites, declaração de imposto de renda ou, no caso de trabalhadores autônomos, por meio de extrato bancário dos últimos três meses.

Como a análise de crédito deve ser realizada?

Para que a análise de crédito seja realizada, é preciso solicitar ao candidato a inquilino cópias do RG e CPF, além de comprovante de renda ou declaração de imposto de renda.

Em posse destes documentos, a imobiliária e o locador podem verificar junto às empresas de crédito, como SPC e Serasa, qual o histórico do futuro inquilino. Além desse passo, é importante checar a regularidade do CPF na página da Receita Federal e possíveis ações judiciais nos Tribunais de Justiça Federal e Territorial. Para locadores mais criteriosos é possível ainda verificar se o futuro locatário possui ou não antecedentes criminais.

O que deve ser considerado?

Enquanto alguns locadores podem ser mais criteriosos, preferindo desconsiderar possíveis inquilinos com qualquer débito em aberto, outros proprietários podem aceitar inquilino com “nome sujo” dependendo da natureza da dívida contraída no passado.

Como não há nenhuma limitação do ponto de vista legal para que pessoas com dívidas assumam um contrato de locação, caberá ao proprietário aceitar ou não o futuro locatário. Por nossa experiência, pode-se avaliar e até negligenciar débitos que não ultrapassem mais de 5% do valor total da dívida, dependendo da renda do locatário e das garantias ofertadas.  

Em caso de imóveis administrados por imobiliárias, é de responsabilidade da imobiliária repassar ao proprietário todas as informações levantadas durante a análise de crédito. Dessa forma, amparado pelas informações levantadas sobre o inquilino e pela consultoria da imobiliária, o proprietário poderá decidir se aceitará ou não o candidato a locatário.

O que acontece quando o locatário é reprovado na análise de crédito?

Caso o inquilino não seja aprovado na análise de crédito, o imóvel seguirá disponível para locação e o candidato a inquilino será informado que seus documentos foram reprovados. Ao proprietário não caberá nenhum ônus em relação ao candidato.

Como você pode ver, a análise de crédito é um processo bastante simples, mas que pode poupar muita dor de cabeça! Para receber mais dicas sobre como gerir seu imóvel de aluguel, não deixe de nos seguir no Facebook!

Sem comentários

Cancelar